fbpx

O mais importante é saber o que é importante

Aproveitemos o outono para deixar cair as folhas secas do quotidiano, aquelas que desgastam energias e não representam uma mais-valia para o nosso bem-estar.

A questão reside em identificar o que é realmente indispensável na nossa vida. Na verdade o mais importante é saber o que é importante, aclarar o que é promotor de bem-estar, de satisfação e felicidade.

Mas como fazê-lo, questiona o leitor?

Proponho então o seguinte exercício.

Identifique as áreas que ocupam maior espaço na sua vida no que toca ao tempo e energia que despende com elas. Algumas sugestões: trabalho, família, lazer, amigos, comunidade, autodesenvolvimento, participação cívica ou saúde e autocuidado.

De seguida, elenque os valores mais importantes para si em cada uma das áreas identificadas. No trabalho o que mais valorizo é… Na família o que é realmente importante para mim é … Os valores que relevo no meu espaço de lazer são… e assim sucessivamente. A título de exemplo podemos estar a falar de: conexão, cooperação, empatia, rigor, competência, satisfação, compaixão, aceitação conforto, descompressão, nutrir, convívio, alegria, partilha, diversão, fazer a diferença, crescimento, vencer desafios, entre tantos outros possíveis.

A fase seguinte será, olhando para cada uma das áreas elencadas, refletir onde colocamos mais energias, quais os valores que estão a ser atendidos e nutridos, ou, pelo contrário os que estão mais negligenciados ou pouco cuidados. Sugere-se que, para mais fácil leitura e análise, coloque um sinal – (menos) nas dimensões em deficit e um sinal + (mais) nas que estão a ser cuidadas.

Feita esta triagem, importa perceber se o dispêndio de tempo e energia é diretamente proporcional aos resultados, isto é, se as áreas onde investimos mais energia são aquelas cujos valores estão acautelados e a respetiva necessidade saciada. Será que o tempo e o esforço colocados numa determinada área fazem-na convergir para um patamar satisfatório, através da observância dos valores que definiu?

O último passo será identificar o que pode ser feito no sentido de cuidar dos valores que estão em deficit. A tarefa terá que ser clara, exequível, específica, para ser implementada no espaço de uma semana, caso contrário cai em esquecimento.

Boa sorte para este desafio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *